COPEL APRESENTA PROPOSTA, QUE É REJEITADA EM MESA PELOS SINDICATOS

esc 3

Proposta salarial descontentou os sindicatos

esc2

E DIEESE argumentou que a situação da empresa permite algo bem melhor

As negociações do ACT 18/19 tiveram dia cheio nessa quinta, 13/09, ocupando o período da manhã e da tarde.

No período da manhã foram discutidos itens administrativos e funcionais da Pauta de Reivindicações dos Copelianos. No período da tarde a reunião entrou nos pontos mais aguardados por todos: as itens remuneratórios e salariais.

Pela urgência que copelianos e copelianas dão a saber sobre a proposta salarial da Copel, vamos relatar nessa matéria as informações relativas a esse ponto e em seguida, nos próximos dias, informar em detalhe sobre o conjunto da negociação.

COMO A EMPRESA APRESENTOU O CONTEXTO:

No tratamento da questão salarial, os representantes da Copel  pontuaram que as circunstâncias do cenário regulatório do setor elétrico exigem precauções, porque o modelo persegue resultados que exigem controle de gastos com pessoal, automação de serviços e cumprimento de metas diversas. A renovação da concessão da empresa depende de cumpri-los.

Argumentaram que dentro desse contexto regulatório se preocupam em ajustar os procedimentos da empresa, mantendo os empregos dos trabalhadores. Disseram que sua responsabilidade como gestores é com o que possa ser melhor para todos, incluindo os acionistas e os empregados.

COMO OS SINDICATOS REBATERAM OS ARGUMENTOS:

Os sindicatos posicionaram sua avaliação com base em levantamentos do DIEESE sobre a situação da empresa e o desempenho dos trabalhadores. Diferente dos argumentos da empresa, os dados relatados pelo DIEESE apontaram os lucros crescentes e os bons indicadores alcançados nos últimos anos. Os dados apontam ampliação dos dividendos dos acionistas, enquanto os salários acumulam perdas.

CONHEÇA A PROPOSTA:

Depois de colocadas as avaliações, a Copel apresentou a seguinte proposta:

– Reajuste salarial pelo INPC (estimativa da copel é de 3,64%. Estimativa do DIEESE é que fique em 3,94%;)

– Abono salarial de 0,25 de uma remuneração básica, mais o valor linear de R$ 2.261,27;

– Auxílio alimentação: corrigir pelo INPC-Alimentação e excluir a 13ª parcela, em função de questionamentos do Ministério do Trabalho. Obs.: O INPC-Alimentação está resultando em índice menor que o INPC geral.

– Vale lanche: corrigir pelo INPC-Alimentação. Obs.: O INPC-Alimentação está resultando em índice menor que o INPC geral;

– Auxílio Creche mantido como está (R$ 450,00), sem melhorias. A Copel alega que não vai melhorar, em razão de haver ações judiciais em torno desse benefício;

– Auxílio pessoa com deficiência: corrigir pelo INPC

– Férias: manter o que pratica hoje, sem correções. Está estudando possibilidade de parcelamento das férias em três períodos;

– Auxílio Educação: manter o procedimento e valores atuais. Mas a empresa acena ser necessário rever o modelo posteriormente, no sentido de restringir o benefício às áreas de estudo de interesse da empresa;

– Gratificação de função: manter os valores praticados, corrigindo pelo INPC, sem estender o benefício a outras funções.

SINDICATOS REJEITARAM EM MESA

A proposta da Copel foi rejeitada pelos dois coletivos sindicais em mesa de negociação, tão logo foi apresentada.

Os sindicatos registraram sua posição de que os copelianos sempre se empenharam pela empresa e mais ainda em seus momentos de dificuldade seja diante de problemas de gestão, ou das necessidade de cumprir metas. No ano passado já fecharam um acordo insatisfeitos com uma proposta abaixo do esperado. Esse ano, com boa saúde financeira e boas perspectivas futuras, consideram inconcebível a proposta que foi apresentada.

Os dirigentes sindicais colocaram aos negociadores da Copel que não apenas os acionistas e o mercado precisam ser atendidos, mas também os copelianos, sob pena de começarem a ver a empresa pela qual lutam continuamente se tornar um emprego a mais, sem interesse e sem retorno.

A posição dos sindicatos foi exigir da empresa uma nova reunião, onde a proposta melhore substancialmente.

NOVA REUNIÃO DIA 26

Nova rodada de negociação ficou agendada para 26 de setembro, começando pela manhã. Na opinião dos sindicatos, até lá é hora de copelianos e copelianas deixarem claro seu descontentamento, de modo que isso fique claro aos que dirigem a empresa.

 

DADOS MOSTRAM QUE SITUAÇÃO DA COPEL PERMITE  PROPOSTA BEM MELHOR

Com base nos dados de balanço da Copel, o economista Fabiano Camargo, do DIEESE – Departamento Intersindical de Estudos socioeconômicos, reuniu para os sindicatos um conjunto de indicadores sobre a situação da Empresa, que mostra ser boa a saúde administrativa e financeira, o que permite uma proposta bem melhor que a apresentada.

Situação do lucro líquido melhorou no cenário recente

O lucro líquido da Copel em 2016 foi de R$ 874 milhões e 472 mil. Foi menor que nos três anos anteriores. Mas em 2017, cresceu para R$ 1 bilhão, 118 milhões e 255 mil. Se no período 2015/2016 houve baixa de -30,90% no lucro líquido, o período 2016/2017 mostrou recuperação de 27,88% na margem de lucro. A situação é de melhora no cenário recente.

Patrimônio líquido vem crescendo ano-a-ano

O patrimônio líquido da Copel em 2016 correspondeu a R$ 14 bilhões, 978 milhões e 142mil. Cresceu 2,70% no período 2015/2016. Já em 2017, o patrimônio correspondeu a R$15 bilhões, 510, milhões e 503 mil. Novo crescimento no período 2016/2017, correspondente a 3,55%. O patrimônio líquido da empresa vem crescendo ano a ano, sem quedas.

Patrimônio líquido é a diferença entre os ativos da empresa, ou seja, seus bens e geradores de divisas, e o passivo, ou seja, suas dívidas e obrigações. Também desse ponto de vista, a Copel vai bem.

Receita operacional cresceu 7,04% em 2017

A receita operacional da empresa, ou seja, suas vendas de energia e outros serviços, foram de R$ 13 bilhões 101 milhões e753 mil em 2016 para R$ 14 bilhões, 024 milhões e 573 mil em 2017. Saíram de um momento negativo em 2015/16, de -11,04%, para um crescimento de 7,04% em 2016/17.

Margem EBITDA cresceu 6,52% em 2017

– O potencial de gerar lucro da Copel (EBITDA/LAJIDA) teve situação negativa em 2016, ficando mais baixa que no ano de 2015 em -3,77%, mas recuperou-se em 2017, ficando 6,52% acima do período de 2016.

A margem EBITDA abreviatura do inglês, ou LAJIDA, abreviatura do português, indica o potencial de lucratividade acima dos fatores que podem diminuí-los. É um  outro indicador de situação positiva.

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

13 respostas para COPEL APRESENTA PROPOSTA, QUE É REJEITADA EM MESA PELOS SINDICATOS

  1. quepateta disse:

    Vergonha.
    Discurso anunciado de todo ano:
    De os melhores empregados do mundo e recebem premios e na hora de pagar pelas medalhas recebidas, daí a empresa tá cheia de problemas, e os empregados daí não são merecedores
    Ética, Moralidade, Respeito? Qua qua qua qua quá

    Mas vamos lá abordagem meio fora meio dentro do acordo:
    I) O Sindicato tem que fazer com que seja aprovado por votação dos empregados, o PCS, sendo que gerente nao concorre
    com empregado pois ele optou pela carreira gerencial, logo, briguem entre eles com as mesmas regras que as demais carreiras.
    II) Notório que 100% das reivindicações para o sindicato a Copel ACEITA, mas para as que valorizam o empregado não
    é 100%. Estranho não ???
    III)Isonomia com a gerência.
    Diversos escandalos nas mídias e incompetência gerencial como atrasos em obras,multas de milhoes, investimentos mal feitos.Compadrio
    E as gerencias ganham percentuais extras de aumentos reais vez ou outra, como premio.. Estranho Não? (15% este ano?)
    Para os empregados, a situação ta difícil e eles devem que se dedicar mais e não vai ter ganho REAL.
    Urge critérios para cargos gerencias e regras de condutas avaliadas e aprovados pelos empregados.
    IV) A proposta tem que conter votação separada.
    Uma para os empregados e outra para o que o sindicato pede.Assim fortalece-se o sindicato
    V) Muito cargo. Continua o cabidário. Cade a área de compliance?
    Exige-se respeito ao dinheiro público. muito gerente mamando hipocratiamente.
    VI) Promoções baseado em enquadramento não é incentivo, é desmotivo. Aumenta-se a responsabilidade e nada de um aumento
    VII) Supervisor. Alguém entende isso? Responsabiidade e nada de retorno?
    VIII) Conflito. Gerente avalia o seu indicado(escolhido sem critérios técnicos\competencias) e tira do empregado que trabalho quando da avaliação para receber os 1 ou 2 %
    Uma vergonha. Violenta a familia de quem trabalha e dá pro baba-ovo. Urge a área de compliance mudar isso.
    iX) Contribuição sindical. Se a Lei diz que é da vontade expontanea do empregado. porque a Empresa paga para o sindicato algo que não é da competencia dela?
    X) Recem Indicatos politicos nas altas administrações que passaram na empresa estão ou presos ou respondendo. Cade o Compliance ???
    XI) Votação on-line para maior credibilidade nas votaçoes pois os gerentes vao em massa votar a favor da empresa, além de facilitar para todos.
    XII) Pesquisa semestral on-line em sites confiáveis sobre satisfação com o sindicatos e administração de essoal da Copel e dos gerentes.
    XIII) A pesquisa tem que ter questões abertas discursivas para que se diga que uma intenção\publicação\projeto é para elogiar ou apenas questão de marketagem, ou de hipocrisia.
    XIV) A Copel em novos investimentos tem que considerar a change de dar errado, a parte dos empregados não pode sair perdendo.
    Um seguro acordo coletivo. Se os dirigentes erram, os empregado não podem pagar o pato. Eles tem um seguro.
    XV) OS empregados devem ver, juntamente com o sindicato, uma nova forma de contribuir e fortalecer o sindicato. Por demanda, por resultado positivo.
    Não se limitando a vontade. Mas com critérios e metas que se o sindicato atingir, receberá. Tipo transparência nos custos, atuação junto a sociedade para melhorar a imagem. entre outras ideias. Nota na pesquisa de satisfação. Um acordo entre sindicato e interessados.
    XVI) Pressão nos, terceirizaçao, tons de ameças, mentiras gerenciais tem que ser banidas.
    A proposito alguem sabe informar se o Canal Denuncia funciona mesmo? Na Real?

    E vamos para a repeticao de todo ano.
    Não na proposta e na próxima roda de mesa o sindicato sensibilizado com a situação da empresa, indiretamente recomenda um SIM, mas só se tiver o dele atendido.

  2. Rodrigo Montanini disse:

    resumindo meu voto é NÃO

  3. Vitor Mendes disse:

    Nossa,,,,, tirar nosso 13º do vale alimentação e dar apenas 1,42% de reajuste é para acabar! Então que aumentem nosso vale alimentação para mais de 1200 reais que aí sim acabaria compensando… Aumento de 3,64% no salário não cobre nada! Combustível, escola, energia elétrica, IPTU e outros.. tudo sobe descaradamente! nosso salário não está mais com o mesmo poder de compra de 5 anos atrás. Sindicatos, cadê a briga de vocês! Eu tenho quase certeza que se o acordo fosse fechado com mais benefícios para os trabalhadores, muita gente voltaria a fazer a ‘doação espontânea” aos sindicatos, pois veríamos que está valendo a pena. Caso contrário, a grande maioria não vai querer perder 1 dia de pagamento.

  4. sdpst3 disse:

    Por que não divide o 13° alimentação em 12x? Corrige pelo INPC geral (e não pelo alimentação) e “acaba” com o 13° alimentação por dividi-lo nas outras parcelas do auxílio alimentação.

    • Adriano disse:

      Pense que se aceitarmos essa besteira em 3 anos a inflação vai corroer esse valor do 13º dividido em 12 parcelas, pense que nosso poder de compra tanto no vale alimentação quanto no salário já não corresponde as espectativas. Pelo menos pra mim vai fazer muita falta esse 13º.

      • tecnicoadm2 disse:

        Concordo que não podemos perder essa importante conquista que é o valor referente o 13º vale-alimentação, e também que a forma mais fácil de a Copel resolver isso (sem ser descredenciada do PAT) é dividir o referido valor em 12 parcelas, incorporando-o no vale-alimentação mensal. Dessa forma não teremos perdas, pois o referido valor será reajustado também anualmente, conforme negociações do ACT de cada ano. Coletivo qual a posição (contra-proposta) de vocês com relação a esse item?
        Reajuste salarial, temos que brigar por ganho real que já faz muito tempo que não sabemos o que é isso; o próprio diretor-financeiro relatou melhora nos resultados. Será que não há condições de pelo menos 1% acima do INPC?
        Abono é interessante, mas preferível ganho real que irá impactar em todas verbas trabalhista de agora até a aposentadoria. Se realmente não for possível ganho real no salário, que o abono (a fim de “compensar”) seja no mínimo melhor (consideravelmente) que o do ano anterior, em que a situação econômica foi relatada como bem pior.
        Já com relação à Compensação de horas, creio que a forma de resolver não é extinguindo o Banco de Horas, mas deixando a livre escolha (ou seja, sem pressionar o empregado para compensar, que foi o que a Copel começou fazer de uns anos pra cá – dando “um tiro no próprio pé”) do próprio empregado o pagamento ou a inclusão em banco de horas por 6 meses.

      • tecnicoadm2 disse:

        Só exemplificando que com a hipótese de divisão do valor do vale-alimentação em 12 meses não haverá perdas inflacionárias:
        SITUAÇÃO ATUAL (valor hipotético apenas para exemplificar):
        R$ 1.200,00 reajustado em 10% = R$ 1.320,00 * 13 parcelas = R$ 17.160,00.
        *********************************************************
        HIPÓTESE DE DIVISÃO DO VALOR EM 12 PARCELAS:
        Supondo a divisão dos mesmos R$ 1.200,00 em 12 parcelas e incoporando referido valor no mensal: R$ 1.200,00 / 12 = R$ 100,00 + R$ 1.200,00 = R$ 1.300,00 reajustado em 10% = R$ 1.430,00 * 12 = R$ 17.160,00.

  5. sdpst3 disse:

    Por que a Copel não aceitou o horário mínimo de 30 minutos de almoço sendo que agora é possível esta possibilidade?

  6. Veja o acordo da Sanepar desse ano. Agora sindicato, se vocês perderem o 13º do tickt alimentação, vai ser uma vergonha
    AUXÍLIO ALIMENTAÇÃO

    CLÁUSULA DÉCIMA – AUXÍLIO ALIMENTAÇÃO

    A Sanepar, a partir de 01/03/2018, com::ederá este beneffcio, no valor bruto mensal de R$ 1.051,92 (um mil, cinquenta e um reais e noventa e dois centavos) a todos os seus empregados, com base no programa de alimentação do trabalhador – PAT, e sem que a parcela tenha natureza salarial, conforme o artigo 457,
    , parágrafo 2° da CLT, mediante crédito em cartão magnético ou sistema equivalente. O benefício
    corresponderá ao valor diário de R$ 47,81 (quarenta e sete reais e oitenta e um centavos) considerando-se o mês como tendo 22 (vinte e dois) dias úteis, sendo que tal valor, enquanto vigente o presente acordo, será atualizado com base nos reajustes coletivos, legais ou normativos, atribuidos aos salários da categoria. Fica autorizado , pelo presente instrumento, o desconto salarial, na rubrica, á base de R$ 1,43 (um real e quarenta e três centavos) diários ou R$ 31,55 (trinta e um reais e cinquenta e cinco centavos} mensais, a título de contribuição do empregado.

    CLÁUSULA DÉCIMA PRIMEIRA – AUXÍLIO ALIMENTAÇÃO – FINAL DE ANO

    A SANEPAR concederá, no mês de dezembro de 2018, para os.empregados contratados até 28/02/2018 e que se encontrem com o contrato de trabalho ativo até o dia 1O de dezembro de 2018, um crédito extraordinário (integral) em cartão magnético ou sistema equivalente, em parcela única, no valor de R$ 1.051,92 (um mil, cinquenta e um reais e noventa e dois centavos}, coin base no programa de Alimentação
    do Trabalhador – PAT, sem natureza salarial, conforme o artigo 457. parágrafo 2° da CLT, restando autorizado o desconto mensalde R$ 31,55 (trinta e um reais e cinquenta e cinco centavos}, da parte relativa à contribuição do empregado sobre este valor.

  7. pieter30 disse:

    Isso não pode ser considerada uma proposta. Todo ano o mesmo blá blá blá, está igual a política do Brasil. Tirar benefícios conquistados é totalmente inaceitável. Mas o clã gerencial continuia muito bem, obrigado. Nas agências os mesmos gerentes que estão por aí fizeram “projetos” que foram um verdadeiro desastre para a empresa, clientes e ao erário público e quem pagou a conta? A prepotência é tanta que tem uns que pensam que são os melhores matemáticos do mundo- uma piada-. Assédio moral já virou rotina e nem assistente social está resolvendo, haja vista a denúncia sobre um gerente do sítio cercado e que hoje está na agência centro que é famoso por assediar os funcionários por onde passa. Sindicatos devem mobilizar e buscar um acordo muito melhor do que esse nem que tenha que ir pra greve.

  8. Rodrigo Prado Bernardes disse:

    VERGONHA !!!!!!! Há anos a empresa vem com essa choradeira de que não tem dinheiro , só que esse ano, mais precisamente em Maio, todo o corpo gerencial da empresa, recebeu 15% de reajuste na gratificação de função !!!!! Fora o que a gente não fica sabendo !!!!! Queremos sim aumento real no salário !!!!!! Como já citado aqui no Twitter, a nossa evolução salarial fica a cargo do gerente, e como também já foi citado, os BABA OVO recebem e o resto não. Todo ano a mesma historinha ” A VERBA QUE VEIO PRO DEPARTAMENTO É POUCA ” . Criem vergonha na cara !!!!!! Daí vem com cartilhinha de ética e transparência. Cade a transparência nesse momento !!!!!! A cada ano que passa o quadro funcional diminui, os empregados que ficam estão ficando sobrecarregados, e a Copel vem com esse lixo de proposta. A Copel precisa melhorar e muito essa proposta !!!!! E cabe a todos disseminar essas informações, para que todo copeliano saiba que seu gerente recebeu um aumento, enquanto VOCÊ está tomando na cabeça !!!!!!

    • quepateta disse:

      A falta de Transparência Gera o ladrão.

      A R Peão comenta que já houve em áreas os gerentes dividiram entre eles os estágios e falaram que não veio nada.
      Daí que se a empresa não divulga e deixa pra gerência divulgar.
      Tá gerando possíveis ladrões.
      Afinal é bom para se trabalar numa empresa assim? Só ganhou o prêmio anterior devido a pura marketagem no notes e intranet. O marketing tem o poder oculto de induzir, iludir. Tenham pensamento nesta questão

  9. Essa proposta ridícula deve ser rejeitada. O quadro funcional da empresa reduz dia após dia, enquanto a demanda de trabalho só aumenta. O resultado é que os funcionários remanescentes estão cada vez mais se arrebentando de trabalhar. Fora esse LIXO desse sistema nojento que não colabora. Os resultados da empresa, por outro lado, melhoram trimestre após trimestre. Aí agora vêm com esse papinho esdrúxulo de descredenciamento? Na boa…

Deixe uma resposta para thespiritcrusher Cancelar resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s