PLR 2016: COPEL APRESENTA METAS. SINDICATOS QUEREM AVANÇOS EFETIVOS

plr 2016 2As negociações entre os sindicatos que representam os copelianos e a Copel para a PLR 2016 começaram nesta quinta-feira, 28 de janeiro, e tem continuidade já agendada para o dia 11 de fevereiro.

Os representantes da Copel iniciaram a reunião dizendo que estão se esforçando junto ao Conselho de Controle das Empresas Estaduais – CCEE, para que a Copel possa ter autonomia e independência para definir sua política de salários, participação nos lucros e gestão de pessoal, considerando que seu papel no estado e seus resultados são diferenciados. O CCEE foi criado pelo governo Beto Richa para controlar assuntos relacionados aos gastos das estatais paranaenses.

Outro ponto abordado pelos representantes da empresa foi a intenção da Copel de melhorar o nível de satisfação dos empregados, depois da constatação que em 2015 a Copel não ficou entre as 150 empresas brasileiras consideradas melhores para se trabalhar. Segundo disseram na reunião, estão preocupados em que o trabalhador se sinta bem em trabalhar na Copel, tanto no que diz respeito a remuneração quanto aos benefícios, ao ambiente de trabalho e ao relacionamento entre os trabalhadores e as gerências.

Os sindicatos, por seu lado, posicionaram-se dizendo que as posições da empresa precisam se tornar concretas nas negociações da PLR e nas negociações do Acordo Coletivo. Lembraram que o atendimento as pautas de reivindicações dos trabalhadores são a forma mais efetiva de valorizar os empregados. Pontuaram que ações gerenciais autoritárias e cobrança desmedida de produtividade, mesmo com redução do quadro, junto com medidas negativas, como limitar a 5% do quadro o gozo das férias no período de final e início de ano, são fatos que ampliam o descontentamento.

A Copel apresentou um esboço de proposta, englobando metodologia e metas para a PLR 2016/17. As metas contemplam os seguintes fatores: Satisfação da Qualidade Percebida – ISQP; Rentabilidade do patrimônio líquido; PMSO/Receita Operacional Líquida; Rentabilidade do Parque Gerador e Receita Operacional Bruta – ROB. No que diz respeito ao montante a ser distribuído, a Copel sinalizou, inicialmente, com uma projeção de distribuição de 50% de dividendos do lucro líquido aos acionistas, com a ideia de distribuir aos empregados um montante relacionado a esse percentual. Em 2015, esse montante ficou limitado a 15%.

foto colNa visão dos sindicatos do COLETIVO CSEC, colocada na reunião, a proposta da PLR 2016 não pode refletir apenas as metas que a Copel entende sejam oportunas, ou ficarem limitadas ao percentual de 15%. Precisam garantir recompensar a produtividade dos trabalhadores, ou seja, sua contribuição efetiva para o desempenho da Copel. Os copelianos merecem uma proposta que lhes garanta uma boa base mínima de distribuição de recursos, independente de alcançar o total das metas, e que seja ousada para crescer em função do cumprimento delas, com a perspectiva de alcançar 25% do montante distribuído aos acionistas, teto previsto na legislação, sem o limite de teto de duas folhas de pagamento.

No dia 11 de fevereiro as negociações continuam. É importante que os trabalhadores apoiem o esforço dos sindicatos do COLETIVO CSEC para fazer avançar a proposta.

Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s