SUGESTÃO DE PAUTA DOS SINDICATOS

leia e opineEsta é a proposta básica e unificada de pauta de reivindicações que os sindicatos estão apresentando aos copelianos nas assembléias que estão se realizando por todo Paraná.

 Os trabalhadores podem discutir e apresentar suas sugestões, seja de mudança ou de inclusão de novos itens. As sugestões apresentadas devem passar pela aprovação dos colegas, nas assembléias, para que possam integrar a pauta que será encaminhada a Copel, visando as negociações.

 As Cláusulas Econômicas são as reivindicações que dizem respeito a remuneração do trabalhador. As Cláusulas Administrativas visam um emprego estável, saúde e segurança no trabalho e outros benefícios e garantias.

CLÁUSULAS ECONÔMICAS

Reajuste salarial: A partir de 1º de outubro de 2015, correção salarial no percentual de 12%.

Progressão por antiguidade: dentro do seu PCCS, aplicação de percentual a titulo de Progressão por Antiguidade.

Auxílio alimentação: Pagamento de auxílio alimentação no valor de R$ 1.000,00 (hum mil reais) mensais a todos os empregados, inclusive uma parcela adicional no mês de dezembro, na forma de 13ª (décima terceira) parcela.

Vale lanche: A partir de 1º de outubro de 2014, reajuste do vale lanche para o valor de R$ 120,00 (cento e vinte reais).

Auxílio creche: Em atenção ao Princípio de nº 6 do Pacto Global do qual a Copel é signatária, e ao disciplinado no artigo 389, § 1º, da CLT, pagamento a todos os empregados, a título de auxílio creche, sem natureza salarial, o valor mensal de R$ 600,00 (seiscentos reais) por dependente na idade entre 7 (sete) e 72(setenta e dois) meses.

Pessoas com deficiência: concessão aos empregados com deficiências e/ou dependentes com deficiência, a título de beneficio social, sem natureza salarial, o valor mensal de R$ 800,00 (oitocentos reais).

Dependência química: estender a abrangência do programa de tratamento de dependência química para os familiares em primeiro grau do empregado.

Auxílio educação: custear aos empregados matriculados em curso técnico de nível médio, curso superior ou curso de pós-graduação em instituições particulares de ensino, auxílio educação sem natureza salarial correspondente a 100% (cem por cento) do valor da respectiva mensalidade.

Abono de férias: gratificação de férias de 01 (uma) remuneração do empregado, garantindo como piso o valor de R$ 3.000,00 (três mil reais) para todos os empregados.

 Abono salarial: 2,5 (duas e meia) remunerações individuais do empregado, acrescido do valor fixo de R$ 5.000,00.

Leituristas – adicional de risco: adicional no valor de 30% (trinta por cento) da remuneração a todos os empregados que trabalham na função de leiturista por exposição a riscos à saúde no exercício da atividade.

Adicional de linha viva: pagamento do Adicional de Linha Viva aos empregados que executam atividades em Áreas Energizadas.

Periculosidade: pagamento de adicional de periculosidade aos empregados que desenvolvem a atividade de “SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO EM EQUIPAMENTOS HIDRÁULICOS – SVMEH”.

Diárias de alimentação: reajuste nas Diárias de Alimentação pelo ICV – Alimentação Fora de Casa, acumulado desde o último reajuste.

Parágrafo Único: diária de alimentação a todos os empregados que desempenhem suas atividades em sábados, domingos e feriados, na sua base de trabalho, e durante a semana em outros municípios.

Adicional de insalubridade – almoxarifes: pagamento de adicional de insalubridade a todos os empregados que trabalham em depósitos e almoxarifados da empresa.

Vale cultura – incentivo à cultura: incentivo aos empregados para participação em atividades culturais.

Alíquota do plano previdenciário: possibilitar ao empregado a opção de adesão ao desconto da alíquota única de contribuição de 12% (doze por cento) para toda a faixa salarial no Plano Previdenciário da Fundação Copel, com a correspondente contrapartida de depósito pela empresa.

Adicional de penosidade: aos empregados que atuam em regime de escala de turno ininterrupto de revezamento e no CALL CENTER, Adicional de Penosidade, no valor equivalente a 10% (dez por cento) de sua remuneração.

Manutenção da renda do empregado readaptado: Ao empregado readaptado em outra atividade compatível com suas condições físicas e psicológicas, por motivo de doença ocupacional, acidente do trabalho ou auxílio doença, conforme disciplinado na norma interna específica de Programa de reabilitação e readaptação profissional, será garantida a manutenção, das médias dos últimos 12 (doze) meses anteriores ao afastamento, referente às seguintes parcelas: adicional de periculosidade, sobreaviso, horas extraordinárias de escala, adicional noturno simples, adicional de penosidade ou adicional de Eletricista de Manutenção de Linha Viva e de Rede Subterrânea.

CLÁUSULAS ADMINISTRATIVAS

 Garantia de emprego: garantia do emprego, ficando impedidas dispensas sem justa causa ou arbitrárias, respeitando, desta forma, o artigo 37 da Constituição Federal.

Reembolso para compra de óculos (armação e lentes): reembolso ao empregado, até o valor de R$ 3.000,00 (três mil reais), a aquisição de armação, lentes corretivas, de acordo com a orientação de especialista habilitado.

 Acompanhamento médico de dependentes: acompanhamento de familiares em primeiro grau, em consulta ou atendimento médico/hospitalar, sem necessidade de reposição dos dias em que o empregado se afastou.

Segurança e saúde do trabalho: criação de uma comissão especifica de segurança e saúde do trabalho, com participação dos sindicatos e empresa, com reuniões quadrimestrais. Os sindicatos indicarão trabalhadores para participarem das reuniões.

Direção da Fundação Copel: a direção da Fundação Copel será totalmente indicada de forma paritária, sendo que 50% da diretoria será composta por participantes eleitos.

Liberação de dirigentes sindicais: liberação de dirigentes para o exercício de cargo sindical, durante a vigência do mandato, mediante solicitação formal às Empresas e aprovação em reunião de diretoria da Holding, de acordo com o seguinte critério:

  1. a) Sindicatos com representação menor que 5% do total de empregados terão a cessão de um empregado eleito para cargo de direção sindical, com ônus para a entidade, mediante ressarcimento da remuneração e encargos.
  2. b) Sindicatos com representação entre 5% e 15% do total de empregados terão a cessão de um empregado eleito para cargo de direção sindical, sem ônus para a entidade.
  3. c) Sindicatos com representação acima de 15% do total de empregados terão a cessão de até dois empregados eleitos, sem ônus para entidade.
  4. d) Sindicatos, independentemente do percentual de representação, poderão fazer jus à cessão de empregados em cargos de direção sindical fora dos critérios acima, com ônus para a entidade, mediante ressarcimento da remuneração e encargos, devendo a cessão ser aprovada em reunião de Diretoria.

 Parágrafo : Serão concedidas horas de ausência, sem reposição, durante a vigência do presente acordo, aos dirigentes eleitos das entidades sindicais, para a realização de cursos de aperfeiçoamento e treinamento, mediante comunicação formal com a antecedência mínima de 15 (quinze) dias da data do evento e apresentação posterior do certificado de conclusão do curso, da seguinte forma:

  1. a) Sindicatos com representação menor que 5% do total de empregados: 40 (quarenta) horas de ausência;
  2. b) Sindicatos com representação entre 5% e 15% do total de empregados: 80 (oitenta) horas de ausência; e
  3. c) Sindicatos com representação acima de 15% do total de empregados: 120 (cento e vinte) horas de ausência.

 Parágrafo : Será concedida liberação de jornada de trabalho, sem reposição, durante a vigência do presente acordo, aos dirigentes para atividades voltadas a celebração de acordos coletivos de trabalho, conforme o seguinte critério:

  1. a) Sindicatos com representação de até 5% do total de empregados: 1 dirigente para a reunião de negociação com as Empresas e até 2 para reuniões de preparação da pauta de reivindicações, realização de assembleias e reuniões quadrimestrais;
  2. b) Sindicatos com representação acima de 5% do total de empregados: 2 dirigentes para a reunião de negociação com as Empresas e até 3 para reuniões de preparação da pauta de reivindicações, realização de assembleias e reuniões quadrimestrais.

Para as reuniões de negociações e quadrimestrais o número de jornadas liberadas serão de acordo com a agenda preestabelecida pelas Empresas. Para os demais eventos serão liberadas até 2 (duas) jornadas durante a vigência do acordo.

Descontos diversos em favor dos sindicatos: repasse aos Sindicatos, na mesma data em que efetua o pagamento dos proventos dos empregados, os valores descontados destes em folha de pagamento e devidos às entidades sindicais.

Credencial para seguros: a Copel concederá credenciais de agenciadores de seguros aos sindicatos estipulantes de apólices de seguros.

Manutenção das conquistas anteriores: manter todas as conquistas dos trabalhadores constantes em acordos coletivos e normas internas editadas anteriormente ao presente instrumento.

Reuniões periódicas de avaliação do ACT: manter o calendário de reuniões periódicas com as Entidades Sindicais, nos meses de março e junho de 2016, para avaliações e deliberações de diversos assuntos de interesse coletivo das categorias representadas.

Vigência: o Acordo Coletivo de Trabalho terá sua vigência no período compreendido entre 1º de outubro de 2015 e 30 de setembro de 2016.

Contribuição assistencial: A Copel descontará dos representados, em favor do sindicato, a título de custeio da campanha salarial, os valores deliberados e aprovados nas assembleias gerais extraordinárias de cada entidade.

Fundo assistencial: A Copel repassará aos sindicatos, conforme a respectiva representação e base territorial, o valor correspondente a dois trinta avos (2/30) da remuneração do mês de outubro de 2014 dos representados, a título de Fundo Assistencial Sindical. Esta importância visa subsidiar os serviços assistenciais sindicais voltados à categoria profissional representada neste instrumento.

Multa: o descumprimento de qualquer cláusula deste acordo implicará em multa de R$ 500,00 (quinhentos Reais) por empregado, por cláusula descumprida e por mês de descumprimento, que reverterá em favor do empregado prejudicado.

Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

29 respostas para SUGESTÃO DE PAUTA DOS SINDICATOS

  1. sdpst3 disse:

    Pode incluir a reivindicação da jornada de trabalho entre às 07:00 e 19:00.

  2. personavenia disse:

    Discordo totalmente a cláusula :
    Fundo assistencial 2/30
    A justufucativa é inapropriada. O Sindicato dá a entender que sempre que terá custos a Copel irá arcar? Assim pode-se imaginar muita coisa, a exemplo, já falado ano anterior, que o dinheiro a Empresa tira dos empregados por conseguinte,
    O SIndicatto tem que sobreviver com o orçamento que tem por lei e não querer angariar através de asembléia. (Que é legal, mas …)
    O SIndicato nas assembléias devem levaros custos com essa negociação, a contabilidade para savermos o que poderia estar caro. Aluguéis? Salários?

  3. patriciave disse:

    Gentileza incluir o auxílio educação para dependentes matriculados na Rede de Ensino Privada em forma de reembolso de 100% (cem por cento) das mensalidades escolares, excluídas as despesas com taxa de matrícula, materiais, uniforme, aulas especiais, e multas,limitado ao valor de R$ 350,00. Ou a portabilidade do auxilio educação que é concedida para o empregado poder passar para os dependentes (opcional de cada empregado). Essa cláusula será de extrema importância para os empregados que moram no interior do Paraná, onde não temos faculdades com bons cursos (exemplo engenharias em geral). Já que não temos essa chance, pelo menos um bom incentivo na educação dos filhos.

    Fico no aguardo de uma resposta.

  4. Com relação aos funcionários de 4 horas? Nada a declarar? Esqueceram de nós?

    • kirk27 disse:

      Fernando, infelizmente fomos esquecidos há algum tempo. Alguns (por merecimento ou não) foram “promovidos” para 8 horas. Outros, que é o nosso caso, estamos batalhando/migalhando por uma oportunidade, que já demora muito para vir. E ainda sou obrigado a ver comentários como: “Quer trabalhar 4 horas e ganhar como 8 horas” ou “O seu concurso é pra 4 horas só mesmo”.

  5. personavenia disse:

    Momento de celebrar!!!!

    Sobre o comunicado presidente hoje, tá uma falação sobre o PCS.
    Muito louvável e tudo indica que erro da diretoria em 2011, será reparado, ao menos em parte. Sobre os colegas que não receberam naquela ocasião o digno aumento. Receberam frustação, indignação. Receberam por anos, perdas como não incidências de correções de dissídios sobre o salários que seria o correto, como exemplo, prejudicou na aposentaria deles, no FGTS, e coisas assim. A justificativa de equiparar com o mercado, criou uma desiquiparação social interna e discriminatória. Ou seja um desrespeito de princípos de igualitário da empresa.
    Humilharam uma parcela dos empregados na ocasião, (que tinham mais de 10 anos), e que desde 2011 carregam a humilhação por não terem sido considerados no aumento, vendo outros mais felizes. Colegas que passaram apertos do cinto, viram colegas novos, jovens e muitos solteiros que chegaram a quase igualar aos salários de quem tinha mais de 10 anos. E isto era certo para os novos que merecem um bom salário, mas mal passou 4 anos e já estão sem visão de futuro. Assim como colegas mais antigos que eram consultores com salário baixos, ganharam uma bolada e foram reajustados, o que também foi correto.

    Agora tirar aumento de de uma parcela para dar a outros foi errado. O que na prática foi o que ocorreu.

    A presidência reconheceu isto, que entendeu e olha os que ficaram desequiparados na empresa(talvez não no mercado, mas na empresa, sim. )

    Vemos duas situações e ações:
    – A primeira seria reenquadrar estes que foram prejudicados e ressarci-los internamente.
    = A segunda seria a pesquisa do salário e depois o novo enquadramento, daí de todos com o mercado. E principalmente considerar que estamos ACIMA DO MERCADO, POIS OS PRÊMIOS DIZEM ISSO, logo ME-RE-CE-MOS SALÁRIOS ACIMA DA MÉDIA.

    Resta agradecer a iniciatica e consideração da Presidência e também rezar para que desta vez, com as conquistas que OS EMPREGADOS ESTÃO TRAZENDO, sejamos justiçados e reconhecidos.

    • personavenia disse:

      Um colega comentou que “também os discriminados pela antiga diretoria, não tiveram oportunidade de3 promoção, pis ficaram defasados.Não adianta um PCS se não há dinheiro suficiente para estágios.”
      É tem alguma senso no comentário.
      A reza continuará a mesma. Pessoas querem ser gerentes para já na primeira, ganhar a promoção na frente dos outros, competênncia vai se esconndendo, puxando o saco.
      Quanta gene indicada que está como gerente que receberá uma bolada maior quando da promoção.
      O Ministério publico deveria investigar estas fenomenos meteóricos na empresa. Promoções nas primeiras, geencia cedo sem experiência ou conhecimento.

      E ainda acho que a Copel deve rejeitar a cláusula dos 2/30, mesmo que seja aprovada em assembléia. Afinal é mais dinheiropúblico para sindicato, e deveria ir para a saúde ou algo assim no lugar.
      O “Novo PCS”, pouco trouxe de melhorias. Choveu no molhado. MAs como chuva é energia pra empresa, Vamos acreditar que será sério E efetivado antes do dissídio no final do ano.
      Agora a piramide é uma piada, é só olhar as áreas. totalmente mal distribuídas. em que excluir gerene consulor na hora do número, afinal ele gerencia ou faz consultoria?
      E se tem seniores ou plenos há mais de 10 anos. O que está errado? O empregado é incompetente mesmo, Mas conseguiu passar num concurso, ou gerencia que não sabe gerenciá-lo ou o persegue?
      Tenham todos um bom domingo e sábado.

    • pedepanopr disse:

      Personavenia, qual o motivo de comemoração???

      Aonde está escrito que, com o novo PCS, haverá ganhos para os que não receberam o “digno aumento” (sic) ou para os “velhos e casados”, já que no PCS anterior, jovens e solteiros receberam?

      Os 2% ou 1% vão para vc?

      Ou acha que ficou melhor porque todos ficarão infelizes e não somente uma parte do quadro?

      Me esclareça, porque realmente não entendi!

  6. coletivocopel disse:

    Olá, copelianos. Ficamos contentes com a participação, as sugestões e as indicações de vocês. E convidamos todos a participarem das assembleias de seus sindicatos, onde, junto com os colegas, poderão levantar e debater seus pontos de vista. A pauta definitiva e unificada, que será levada a apreciação da Empresa sairá dessas assembleias. Aguardamos todos lá!!

    • pedepanopr disse:

      coletivocopel, será possível colocar em votação uma cláusula sobre o PCS.

      Minha proposta é retorno imediato ao PCS anterior e que a COPEL elabore novo PCS dentro de seis meses. Que haja transparência e critérios OBJETIVOS.

      A propósito, os sindicatos sabiam do conteúdo do novo PCS??? Que retroagiu os salários aos níveis de 2010!!!

    • pedepanopr disse:

      coletivocopel, será possível colocar em votação uma cláusula sobre o PCS?

  7. pedepanopr disse:

    Continuando o OFF-TOPIC…

    O novo PCS é lamentável… retrocesso de 5 anos, pelo menos.

    Explico: O salário inicial de 2010 atualizado, pelos acordos coletivos, é maior do que o novo salário inicial.

    Com os intervalos menores entre os níveis e a exigência de ter “andado” na horizontal, o ganho salarial quando da passagem de nível será nulo ou, na melhor das hipóteses, mínimo.

    Eu aposto que a galera que será promovida este ano e, provavelmente nos próximos, terá impacto ZERO na folha.

    Foi mencionada e meritocracia… aí eu pergunto: Quais ferramentas OBJETIVAS a COPEL tem para medir o mérito? O Nossa Energia???

    O colega personavenia disse que até mesmo solteiros receberam aumento no PCS passado!!!! Ué? Precisa ser casado para receber aumento??? É critério o número de filhos? Sendo assim, colegas que pagam pensão para várias ex-esposas e filhos, merecem aumento e pelo menos, uma gerência!

    Fato é que esse novo PCS visa reduzir, a longo prazo, o P do PMSO, pois os novos entrarão com salários bem abaixo da média de mercado e demorarão ANOS, muito mais dos que os necessários para progressão vertical, para conseguir os estágios necessários. E ainda assim, quando conseguirem, serão preteridos em benefício (??) daqueles que já estão há tanto tempo esperando que sua promoção não impactará a folha.

    No novo PCS, o vídeo diz que as médias de mercado foram movidas para o centro das faixas. Ora, sabendo da velocidade em que ocorrem as promoções de estágio, o empregado só vai começar a receber a média de mercado com 10 anos de empresa, mas sempre estará correndo atrás do prejuízo, pois será muito difícil alguém chegar aos estágios superiores de cada nível.

    Além disso, com o retorno do salário inicial aos níveis de 2010, voltamos a ter um dos menores salários entre as estatais paranaenses e outras da região sul!

    Lamentável!

    Agora, ON-TOPIC: Os sindicatos tomarão alguma atitude sobre o novo PCS?

    • tecnicoadm2 disse:

      Acho que foi muita propaganda para quase nada. Além do retrocesso citado pelo colega acima, agora tem mais um requisito para a promoção vertical que é o número de estágios (e aí a empresa vai disponibilizar estágios periodicamente e suficiente; como tem disponibilizado nos últimos 2 anos?!?).
      Achei que haveria mudanças significativas, mas parece total retrocesso mesmo, além disso continua aquela história de pirâmide nos cargos de nível superior e para os de nível médio o eletricista pode chegar no máximo no nível III (depois disso só encarregado) e o administrativo no IV (depois disso só se for supervisor, gerente, assessor de diretoria, secretario de diretoria, etc).
      Acho que seria mais fácil ter deixado como estava e apenas disponibilizar a verba (pois pelo menos antes era um requisito a menos). Complicado.
      Coletivo é preciso acompanhar essas mudanças e cobrar da Copel, para que ocorra mudanças favoráveis aos copelianos e que possam aplicar na prática.

  8. dark0513 disse:

    se pedir 0% de aumento, a diretoria vai dizer que não tem condições, que a empresa está em dificuldades e toda prosopopeia flácida pra acalantar gado vacum que a gente conhece.

  9. loucocwb disse:

    Que coisa chata… Todo ano temos que cobrar a cláusula sobre a indenização em caso de demissão por mudança na composição acionária…

  10. poisze56 disse:

    E daí que a empresa divulga ser de transparência. Mas nada de mercado claro e nítido.
    Sabemos que o mercado está em falta de engenheiros todos, mas principalmente os juniores.
    Apenas o momento é de crise, depois volta, daí que poderemos ter seniores ou consultores fazendo concurso pra junior pois a média de mercado pode estar melhor rárárá

    É só um exagero, para mostrar que um plano não é só mercado. É dignidade interna, é prover a famíia, é ver futuro na empresa, confiança, acreditar. Um PCS tem que ter uma saída para que ao menos 1% dependa dele e não do gerente ou da empresa. Se ele não conseguir, a verba fica na Copel e não iria para outro, ou algo parecido. Tipo, se foi destaque por algum motivo, já conseguiu ao menos uma alfafa naquele ano.(é que li sobre gado conduzido rárárá)
    Alguém entendeu que acabou aquela palhaçada de curriculo que ninguém lia. A piada era que os peixes/puxa montavam o curriculos assessorados pelos padrinhos, daí …

    Alguém entendeu que tem gente que poderá cair de salário e ficar com salario de junior ou pleno? Mas vale lembrar que tem 1% da folha para acertar isso. Então é uma coisa boa.
    Agora a guerra será com os estágios. Como entendo lendo o blog aqui, como vem menos que 1% normalmente para todos da área,(pois quando chega chega na peãozada, ninguem sabe ninguem onde ficou parte da bolada) alguém dificilmente irá caminhar. Lembro o que foi escrito por aqui também que se alguém não consegue 1%. O gerente é que não o administrou bem, então, menos para o gerente que não soube inclusive ir buscar ao menos 1% para cada dos peão.
    By the way, alguém sabe quanto vem para as gerencias? (Olha a transparência aí de novo)
    Gerente não é empregado também? Como dividirão? O PCS deve esclarecer bem sobre isso.
    Para evitar que se trabalhe apenas visando ser gerente e não para a empresa.
    Em Suma, vamos aguardar, pra quando é mesmo os ajustes?

  11. mariatns disse:

    Achei o plano tão bom que sugiro começarmos as cobranças e discussões para o próximo, quem sabe em 2019 com uma nova diretoria, atuante e voltada aos funcionários, tenhamos algum avanço. Com relação ao acordo, expectativa zero! Se não tivermos descontos e não sofrermos humilhações já será de bom tamanho.

  12. tecnicoadm2 disse:

    Os editais dos concursos já foram até retificados com os novos salários iniciais (REDUZIDOS!!!): http://www.nc.ufpr.br/concursos_externos/copel2015.
    Esse novo PCS é sensacional e incrível (para a empresa, é claro), que consegue diminuir o salário do empregado (é importante verificar que não é apenas o salário do novo empregado, mas de todos os níveis de todas as carreiras ser, e ainda aumentar mais um requisito para dificultar ainda mais as promoções verticais.
    Como disse um colega acima, o plano está perfeito para que, talvez, a empresa consiga reduzir o P do PMSO. Eaí coletivo, vamos aceitar calados esse novo PCS? (me parece que o antigo estava melhor que esse, menos requisitos e salário era maior).

  13. alguem poderia explicar melhor como vai ser o novo plano de carreira voltado para os empregados da copel? porque até agora eu nao entendi nada, pois pelo que sei ha cinco anos as promocoes eram automaticas, mas no momento atual só os puxa saco que estao tendo promocoes nivel I, II,III…e assim vai, uma vergonha, depois vem com a conversa que é a melhor empresa que valoriza os funcionarios.

  14. poisze56 disse:

    Há décadas que o PCS é ilusão
    Basta ver o salario inicial do concurso e comparar com os que já estão há anos na empresa, seja 5 ou 10, ou 20 anos. A diferença é poucos percents. E isso porque ainda considerou-se o que se chamam de ganho real, que não tem nada a ver com o PCS.
    Os estágios e o tal de PCS, de nada valem então como futuro para ficar na empresa. Esta publicação do edital foi a prova.
    Quando se vai questionar um merecimento, a gerencia, na maior cara de pau, diz que não veio nem pra um e ele tem que dividir com muitos. Será? E ainda culpa a presidência que não enviou o que ele pediu. Pediu? Mas não é um dinheiro que viria de um processo? Os gerentes dizem que ficou um bom percentual com os adjuntos que dizem que estão com os assistenteeassessores que dizem que parou na superintendicia e daí, que o peão dançou e caiu no conto. Mas ao menos ouviu as desculpas prontas de todo ano.
    Mas se vem, quem ganha?
    A falta de transparência deu um problemão para a roubobrás, disse petro.
    O sindicato até agora, de anos, ainda não percebe que é pura enganação o tal de PCS? E nunca conseguiu evoluir nada com isso. Fica só choramingando que faz e não fez.
    O PCS e méritos, apenas iludem os filhos dos empregados que perguntam? Conseguiu alguma melhoria mãe? Veio a promoção desta vez?
    E pra voces, virá?

  15. Já perdi totalmente a confiança ,falam que vai haver mudanças,melhoria,falam em motivação,que é a melhor empresa para se trabalhar,cobram resultados,e damos os resultados que eles querem,só esquecem de nos passar uma resposta concreta,fica nessa conversa fiada de sempre,faz 6 anos que não recebo um estágio sequer.Continuo trabalhando com o mesmo empenho sim,mas poderia ser mais motivador para mim e meus companheiros.

  16. é isso que da em confiar nas pessoas principalmente no sindicato que deveriam cobrar com mais interesse, mas ao contrario perguntado a um representante ele se quer sabe do que se trata o PCS, é isso que dar em ser representado pela maioria de aposentados que estao cagando para nos trabalhadores da empresa se a copel for privatizada hoje eles nao estao nem ai, só que tem uma coisa os funcionarios estao cansados de promessa estao trabalhando com garra e nao estao recebendo o devido valor os gerentes preferem dar o aumento para os puxa saco que mais morcega na empresa do que valorizar o empregado que trabalha duro, o dificio é motivar depois de ver essas coisas acontecendo na empresa, isso que a copel é uma empresa publica.

  17. Hoje o Auxilio creche vai apenas para EMPREGADAS, isso é uma discriminação, se houvesse um benefício apenas para os empregados do sexo MASCULINO tenho certeza que haveria protesto em todos os lugares.

    Gostaria de saber o auxilio creche vai se estender ao empregado do sexo MASCULINO também?

  18. kirk27 disse:

    Extinção dos cargos 4 horas, JÁ!

  19. JOSÉ SCHELER disse:

    Em relação ao P.C.S, a forma de como querem fazer prejudicará e muito todos os estágios. Em conversa com um advogado o mesmo me informou que já é direito adquirido e não se pode mexer. Como até o momento o sindicato não se manifestou, estamos propondo uma ação coletiva independente de sindicato. Algumas pessoas na minha região já estão apenas aguardando o ok de um advogado. Fiquem atentos e se manifestem.

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s