PLR: Mais para os acionista, menos para os trabalhadores

A Copel encaminhou nesta semana a minuta para o acordo específico de distribuição da Participação dos Lucros e Resultados para os trabalhadores da empresa referente ao exercício de 2014. Na proposta, o montante a ser distribuído entre os mais de 8,5 mil trabalhadores é de R$ 90 milhões, com valor aproximado de R$ 10.500 por funcionário.

Até setembro deste ano, o lucro líquido da Copel foi de mais de R$ 1 bilhão, o que representa crescimento de mais de 15% em comparação ao mesmo período de 2013. Em outubro deste ano, o Conselho de Administração da empresa aprovou o pagamento de R$ 380 milhões aos acionistas da empresa, até 21/11, relativos a antecipação de Dividendos e Juros sobre Capital Próprio, correspondente a 50% do lucro líquido da Copel. Em 2012, o repasse para os acionistas era de pouco menos de 40%.

Enquanto que o lucro da empresa e os repasses para os acionistas aumentam, a participação dos empregados da Copel, principais responsáveis pela lucratividade e desenvolvimento da empresa, diminui. Em 2010 (confira na tabela abaixo) o PLR dos funcionários correspondia a 25%, em 2011 caiu para 11%, em 2012 ficou em 10%, e neste ano, tendo em vista ao lucro líquido da empresa até setembro, ficará em menos de 10%.

Ano

Lucro

Acionistas

%

Empregados

%

2008/09

1.078.743.292,33

261.833.991,11

24,3

65,403.514,03

25,0

2009/10

1.026.433.358,09

249.458.820,97

24,3

64.350.422,26

25,8

2010/11

987.807.577,24

281.460.210,95

28,5

70.350.000,00

25,0

2011/12

1.157.689.773,52

421.090.944,19

36,4

47.000.000,00

11,2

2012/13

700.688.167,34

268.554.291,29

38,3

28,446.605,14

10,6

2013/14

1.072.559.550,7

536.279.775,35

50,

78.000.000,00

14,54

Set/2014

R$ 1.064,8 milhões

R$ 380,8 milhões referentes ao 1.º semestre

90.000.000,00

Para o economista do Dieese, Fabiano Camargo, o aumento dos repasses aos acionistas e a diminuição da participação dos trabalhadores nos lucros da empresa é parte de uma política agressiva de aumento dos lucros e diminuição das despesas para distribuição entre os acionistas. Ao que tudo indica, a condução da empresa está orientada exclusivamente para reduzir despesas, aumentar receitas e por fim impulsionar sua lucratividade para distribuir maiores recursos aos seus acionistas, lembrando que grande parte das ações da Copel que tem preferência para o recebimento de proventos estão na Bolsa de São Paulo ou na Bolsa de Nova Iorque, favorecendo os especuladores do capital financeiro nacional e internacional”.

Frente a postura mercadológica que vem se consolidando ano após ano na Copel, o economista questiona quando serão contemplados os trabalhadores da empresa e os consumidores, que, apesar das altas tarifas de serviços, não veem seus benefícios e suas condições de trabalho aumentarem na mesma velocidade do avanço dos ganhos repassados aos acionistas.

“Segundo representantes do governo estadual e da própria empresa os acionistas devem passar a ganhar mais dividendos, para que a empresa possa se ajustar as “políticas de mercado” realizadas por outras empresas do setor, elevando ainda mais a participação dos proventos para acionistas sobre o lucro líquido da companhia. Logo, conclui-se que a política de administração da empresa está voltada para o mercado financeiro para remunerar os acionistas (que aumentaram seus ganhos não somente com expressivo aumento da lucratividade da empresa nos últimos anos, mas também devido ao aumento do percentual do seus proventos sobre o lucro líquido, alterados pelo governo estadual recentemente, que eram de 25%, passaram para 35% e atualmente estão em 50%), em detrimento da modicidade tarifária, remuneração dos trabalhadores ou mesmo do desenvolvimento econômico e social do Estado do Paraná”, critica Camargo.


Com nova proposta, empresa “rasga” compromisso firmado com os trabalhadores

Desde o início de 2014, os sindicatos vinham negociando com a empresa uma proposta de participação nos lucros e resultados que resgatasse o modelo baseado no cumprimento de metas nas áreas técnicas e financeira da empresa.

A proposta que vinha se desenhando em consenso entre a empresa e os sindicatos, por meio de escalonamento de metas e produtividade, possibilitaria a motivação dos trabalhadores da Copel, uma vez que os valores a serem recebidos na distribuição da PLR seriam proporcionais aos lucros da empresa, ao contrário da proposta original da Copel, em que os lucros não alterariam os valores a serem distribuídos. Referente a participação dos lucros e resultados de 2014 e 2015, a proposta em negociação até o final de novembro deste ano seguia os seguintes critérios de distribuição:

Pagamentos da PLR

01 – Teto atual proposto (2,0 RB´s + 10%) até 1,2 bi – 2,20 RB´s

02 – (2,1 RB´s + 10%) de 1,2 até 1,3 bi – 2,31 RB´s

03 – (2,2 RB´s + 10%) de 1,3 até 1,4 bi – 2,42 RB´s

04 – (2,3 RB´s + 10%) de 1,4 até 1,5 bi – 2,53 RB´s

05 – (2,4 RB´s + 10%) de 1,5 até 1,6 bi – 2,64 RB´s

05 – (2,5 RB´s + 10%) acima de 1,6 bi – 2,75 RB´s

Itens que compõem a Remuneração Básica – RB da Copel para formar o montante a ser distribuído aos empregados:

Código – 1000 – Salário Nominal

Código – 1001 – ATS

Código – 1002 – AC/DRT

Código – 1004 – Horas Suplementares

Código – 1006 – ACT Dupla Função

Código – 1101 – Periculosidade Integral

Código – 1102 – Insalubridade

Código – 1104 – Adicional de Penosidade

Código – 1105 – Adicional de Linha Viva e Rede Subterrânea

De forma unilateral, a empresa alterou drasticamente o rumo da negociação, apresentando nesta semana uma minuta de acordo que não foi discutida na mesa de negociação com os sindicatos. A empresa, em reunião com o Coletivo Sindical da Copel nesta terça-feira (2), a Copel retirou a proposta oficializada aos Sindicatos em reuniões anteriores.

De forma unilateral, a empresa voltou atrás e praticamente rasgou o compromisso firmado com as entidade e apresentou uma proposta que não motiva os funcionários a aumentarem a produtividade. É uma proposta que contempla o lucro da empresa, e nem mesmo leva em consideração o percentual pago aos acionistas como dividendos, não observa cumprimento de metas, nada é levado em consideração para o que propôs, principalmente a Lei 10.101 que regula a distribuição de lucro no país”, critica o coordenador do Coletivo Sindical da Copel, Claudeir Fernandes.

Sindicatos realizam assembleias para votação do PLR

Entre os dias 4 e 18 de dezembro, os sindicatos que compõem o Coletivo Sindical da Copel realizarão, em todo o Paraná, assembleias para votação da proposta da empresa para o acordo específico de Participação nos Lucros e Resultados 2014. Clique aqui e confira a proposta para o acordo da PLR. As assembleias serão unificadas, e as urnas serão abertas no dia 19 de dezembro, às 13 horas, no Km 3, em Curitiba. Confira abaixo os locais, dias e horários das votações em seu município.

Curitiba

Dia 8 de dezembro

Agência Centro – das 8 horas às 9 horas

Agência Sítio Cercado – das 17 horas às 18 horas

Dia 9 de dezembro

Km 0 (Copel Barigui) – das 8 horas às 9 horas

Edifício Sede (Coronel Dulcídio) – das 12 horas às 13h30

Dia 10 de dezembro

Santa Quitéria – das 17 horas às 18 horas

Dia 11 de dezembro

Mariano Torres – das 12 horas às 13h30

Atuba – das 17 horas às 18 horas

Dia 15 de dezembro

Agência Vila Hauer – das 8 horas às 9 horas

Padre Agostinho – das 12 horas às 13 horas

Dia 16 de dezembro

Km3 – das 17 horas às 18 horas

Dia 17 de dezembro

Sede do Sindenel – das 8 horas às 17h30

Região de Maringá

Dia 8 de dezembro

Cianorte – Centro Social Urbano, Praça Olímpica, nº 236 – às 18 horas

Dia 9 de dezembro

Paranavaí – Avenida Gabriel Esperidião, sn.º – às 18 horas

Dia 10 de dezembro

Umuarama – Rua José Dias Lopes – CERU – às 18 horas

Dia 11 de dezembro

Campo Mourão – Rua São José, n.º 70 – Copel Clube de Campo Mourão – às 18 horas

Maringá – Rua Caxambu, n.º 388 – Arcom – às 18 horas

Região de Cornélio Procópio

Dia 9 de dezembro

Bandeirantes – às 13h30

Santo Antonio da Platina – às 18 horas

Dia 10 de dezembro

Siqueira Campos – às 13h30

Jaguariaíva – às 18 horas

Dia 11 de dezembro

Cornélio Procópio – às 18 horas

Região de Londrina

Dia 8 de dezembro

Agência Cambé – das 8 horas às 9 horas

Agência Rolândia e Jaguapitã – das 13h30 às 14h30

Dia 9 de dezembro

Apucarana- das 8 horas às 9 horas

Jandaia do Sul – das 11h30 às 12h30

Arapongas – das 16h30 às 17h30

Dia 10 de dezembro

Centenário do Sul – das 8h30 às 9h30

Porecatú – das 11 horas às 12 horas

Astorga – das 16 horas às 17 horas

Dia 11 de dezembro

Faxinal e Borrazópolis – dia 8h30 às 9h30

Ivaiporã – das 11h30 às 12h30

Tamarana – das 16 horas às 17 horas

Dia 12 de dezembro

Ibiporã – das 8 horas às 9 horas

Assaí – das 11 horas às 12 horas

Bela Vista e 1.º de Maio – das 16h30 às 17h30

Dia 15 de dezembro

Agência Londrina Norte – das 8 horas às 9 horas

Agência Londrina Centro – das 11 horas às 12 horas

Agência Londrina Oeste – das 16h30 às 17h30

Dia 16 de dezembro

Manutenção Londrina – das 8 horas às 9 horas

Sindel – das 17 horas às 18 horas

Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

14 respostas para PLR: Mais para os acionista, menos para os trabalhadores

  1. Com tudo que foi escrito ainda vão colocar em assembléia? Deveriam agendar a greve já!

  2. Não entendi senhores sindicalistas … VCS ESTÃO QUERENDO VOLTAR COM A DISTRIBUIÇÃO COM BASE NA REMUNERAÇÃO BÁSICA?

  3. usuario026 disse:

    Pra mim esta de bom tamanho, porém não concordo que funcionarios que trabalham meio periodo recebam igual. É injusto !

  4. Participação de lucros é por metas atendidas, todos tem o mesmo direito, neste ano não foi preciso buscar metas, a Copel deu todas as metas como atendidas, no ano que vem será diferente. A carga horária que cada um cumpre já é pago com o salário. Se fosse assim eletricistas que chegam a fazer média de 12 horas deveríam receber mais então???..Com certeza diretores,administradores,contadores,economistas,engenheiros também não concordam do pagamento ser linear. Você usuário026 é um deles???

  5. O difícil eh aguentar esses ” senhores empresinhas” falando que tá de bom tamanho… Estão passando a mão na nossa cara e eles ainda aparecem concordando com tudo. Isso me enoja…

  6. copalhaço disse:

    Não sou contra o meio período ganhar igual quem trabalha integral (obs: não sou PA 4hs), se fosse assim, eletricista deveria ganhar até o dobro, pois tem eletricista que chega a trabalhar 10, 12 até 16hs diárias, mas sou contra valorizar mais os acionistas que não se dedicam a empresa e não buscam resultados e que na hora que o barco começar a afundar são os primeiros a pular fora com seus coletes salva-vidas enquanto funcionários que dão a cara a bater vão para o fundo como uma âncoras. Para os acionistas deveriam ser distribuídos os lucros igual ou menor dos que realmente fazem a empresa dar lucro.

  7. copalhaço disse:

    SINDICATO, é só nessas cidades que vão ter votação? Cadê Ponta Grossa, Cascavel, Foz do Iguaçu e outras???

  8. Mais uma vez a copel nos trata de maneira absurda: a proposta “final” da copel sobre a plr 2014/2015 que foi feita 02 de dezembro de 2014 e enviada via notes e um montante de 90milhoes linear, so que, a copel nao divigou que ira pagar 50 reais por pessoa para os sindicatos se a proposta for aceita, entao uma conta rapida um certo sindicato daqui de Curitiba tem aproximadamente 1800 representados vezes 50 reais o sindicato ira receber 90 mil reais.
    Sendo que a proposta anterior era escalonada, que a previsão era de recebermos ate 13 mil cada funcionário.
    Eu so espero que alguns sindicatos abra mão dessa pouca vergonha(chantagem), e que faça mais uma denuncia contra essa diretoria
    Aos companheiros de Curitiba e Campos Gerais vamos recusar essa proposta na barba da diretoria.
    Nos precisamos mostrar para o interior que também temos coragem, brio. “A COPEL E MAIOR QUE ESSA” diretoria

  9. quem tem um sindicato assim nao precisa de inimigo

  10. sim, com certeza, a crise que esta o pais, esse 10.500,00 é ótimo, essa empresa é a melhor do parana, que empresa hoje vai pg um plr nesse valor…..

  11. mariatns disse:

    Infelizmente temos ainda no Brasil, e não só na Copel, pessoas tão “inocentes” e “humildes” que ficam arranjando desculpas para aprovar algo, assim ocorreu na eleição, assim ocorre em acordos coletivos, e é lógico que vai ocorrer na PL. Ta na cara que estamos sendo enganados, ta na cara que nosso dinheiro vai para outra pessoa, ta na cara que o sindicato ta levando dinheiro para não se opor, ta na cara que vamos aprovar uma distribuição de lucros antes de saber o lucro porque evidentemente vamos ganhar bem menos do que deveríamos, isso já aconteceu ano passado e vai ocorrer novamente…e mesmo assim temos copelianos que acham justo e estão felizes com a proposta….fazer o que….mais uma vez a maioria ira vencer, enquanto isso continuamos a ser enganados por nossos políticos que comandam nossas vidas…

  12. nao precisa ser um genio para saber que nos teriamos direito de receber um montante mair comparado aos anos anteriores, mas comparando a proposta do sindicato eu prefiro ainda a proposta da copel….

  13. Johnny Derp disse:

    arredonda pra R$ 12.000 pra aliviar as contas dos copelianos e a gente trabalhar mais feliz

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s