Sindicatos convocam assembleias para discutir paralisação na Copel

Nos últimos dias, ouvimos e percebemos uma indignação crescente dos copelianos com a “proposta indecorosa” da direção para o Acordo Coletivo de Trabalho 2012/13.

Nas bases, temos sido abordados, a todo momento, por colegas revoltados com a o que consideram intransigência e pouco caso da empresa.

Pelo blog, Facebook e Twitter, os trabalhadores relatam insatisfação e um clima de mobilização para buscar o que, afinal, é nosso direito.

Clique na imagem para ler o edital de convocação da assembleia

Por conta disso tudo, e da recusa da Copel em retomar as negociações, decidimos convocar assembleias conjuntas a partir da próxima segunda-feira (29).

O primeiro item da pauta, até por questão legal, será a “proposta indecorosa” da Copel. Caso ela seja recusada, como está claro pela insatisfação dos copelianos, vamos discutir e votar uma paralisação e uma pauta mínima para a retomada das negociações com a direção.

Como explicamos em agosto, a contagem dos votos será unificada, e só será feita após a última assembleia, marcada para 12 de novembro. Isso quer dizer que a direção não terá uma resposta de cada sindicato, mas sim uma única posição, tomada pelo seu corpo de empregados.

A votação unificada é uma das principais conquistas, nesta campanha salarial, da união dos 17 sindicatos que representam 99% dos trabalhadores da Copel. Com ela, o que vale é a posição da maioria.

Não mais nos dividimos, por categoria ou localização geográfica. Ao contrário, nos unimos, pois somos iguais no mais importante – somos os empregados que constroem essa empresa, e por isso exigem respeito.

Dessa união é que surgiu, nesta campanha salarial, uma mobilização como não tínhamos há muitos anos (desde, talvez, os meses em que se tentou tirar a Copel das mãos dos paranaenses, em 2001). É a união que nos faz fortes, e precisamos seguir unidos para sairmos dessa negociação com conquistas importantes para todos.

Por fim, convocamos a todos: amanhã é aniversário da Copel. Vários colegas sugeriram usar preto como sinal de luto pelo desrespeito que a empresa mostra conosco. Achamos uma ótima ideia, e resolvemos encampá-la.

Assim, convidamos a todos:

“Amanhã, aniversário da Copel, vamos mostrar nossa insatisfação com a proposta da direção para o Acordo Coletivo de Trabalho. Vamos todos vestir preto!”

Leia e espalhe essa mensagem, faça com que ela chegue ao maior número possível de colegas. Basta de desrespeito. Vamos juntos conquistar o que é nosso direito.

Diretores receberam representantes dos trabalhadores

A pedido dos líderes dos 17 sindicatos, a diretora de Gestão Corporativa da Copel, Yára Eisenbach, o diretor de Geração, Transmissão e Telecomunicações, Jaime Kuhn, e o superintendente de Recursos Humanos, Luiz Carlos Cavanha, receberam no final da tarde desta quarta-feira (24) os presidentes do Sindel, Paulo Sérgio Rodrigues, do Sindelpar, Paulo Sérgio dos Santos, e do Senge-PR, Ulisses Kaniak.

Clique na imagem para ler ofício que cobra reabertura das negociações

Deles, os diretores receberam um ofício que reivindica a reabertura das negociações.

Apesar da boa vontade demonstrada pelos diretores (os dois são funcionários de carreira da Copel), repetiu-se a história do “cenário desfavorável”, apresentado sempre para os trabalhadores, nunca para os acionistas.

E, mais uma vez, ouvimos que a “proposta indecorosa” é a que a direção considera sua proposta final, já definida em reunião com todos diretores. Por isso, saímos da reunião convencidos de que só com a mobilização da maioria dos copelianos é que conseguiremos avanços.

Anúncios
Esse post foi publicado em ACT 2012/13, Notícias do Coletivo. Bookmark o link permanente.

40 respostas para Sindicatos convocam assembleias para discutir paralisação na Copel

  1. Como sou funcionário 4 horas… vou aderir apenas a metade desta paralisação.

  2. DIA 22 de novembro … Vocês só podem estar de brincadeira.
    Temos que parar agora…. O povo do abono vai votar favoravel… SIndicatos vocês estão fazendo o jogo da empresa.
    Trabalhadores olhos abertos com esse joguinho de empurra … empurra…

    • coletivocopel disse:

      Não há nenhum “jogo da empresa” nem “empurra-empurra”, Antonio. As assembleias são necessárias para legitimar uma paralisação, inclusive perante a lei. Como já dissemos no início desta campanha salarial, a negociação poderia tomar um tempo longo. Não se conquistam avanços do dia para a noite. Ao contrário, eles são fruto de luta e mobilização contínuas. Se continuarmos mobilizados como estamos, sairemos vencedores. Um abraço.

      • Mas 1 mês é muito complicado esperar… vocês já sabiam que isso ia acontecer… pelo que ouvi falar, todo ano é a mesma palhaçada… deveriam ter mobilizado essa paralisação no começo de setembro ou no máximo começo de outubro.

  3. joao84 disse:

    Só daqui 1 MÊS? É muito tempo! A paralisação deveria ser amanhã no aniversário da Copel com toda a imprensa presente. Ou no máximo semana que vem. Senão quando vamos terminar isso? Em Janeiro ou Fevereiro quando o pessoal tira férias?! Como o Antonio disse, esse adiamento só favorece à empresa que vai conseguir o voto de quem está endividado. Alguém concorda comigo?

    • concordo plenamente! Estou endividado também… mas foda-se! Meus credores que esperem… no máximo quem se queima é a copel, já que quando começarem a me cobrar, vou falar que ainda não recebi o abono porque a empresa não concorda com nada…

      • quepateta disse:

        Thomas,
        Sou solidário a voce.
        Fico sensibilizado ao ver os convidados na comemoração do Guaira ao deleite de música e diversão a um alto custo, belas fotos na intranet, tudo muito bonito, enquanto os que ganham menos de 35000, entenda menos que diretores, algo como 1500 tenha que estar na mesma hora no labutare, correndo risco de vida.
        É difícil com este salário não ter que financiar para ter algo.
        Mas se a situação tá difícil falta salário para voce, ao menos compreenda que falta humildade para os diretores.
        Nas eleições próximas, 10000 familiares lembrarão deste fato, mas isso não importa alguém já encheu os bolsos ao deleite de “Alegria” para tristeza do Copeliano.

      • quepateta disse:

        Mais uma, hoje estou demais pra escrita.
        Voce não vai receber abono, mas bolo amanhã. Voce vai acertar? A empresa tem dado o bolo sempre na gente.
        Vamos enviar o bolo pra empresa saborea-lo em outra festa.
        Pão e circo tá escrito

    • João,

      Entendemos sua posição. Mas, infelizmente, existem trâmites estabelecidos pela Justiça para deflagrar uma paralização ou greve.
      É necessário que ocorram Assembléias para deliberar sobre isso. Após a delilberação em Assembléia, é necessário que se comunique a empresa sobre a decisão (o tal “indicativo de greve”).
      A empresa tem um prazo para se pronunciar ou para refazer a proposta.
      Se a empresa não se mostrar aberta a diálogo, aí pode-se parar.
      O tempo exigido pela Justiça para que ocorram greves é justamente para evitar abusos por parte de funcionários e sindicatos, e para permitir que se tenha a chance de reestabelecer a negociação.
      Os Sindicatos, que tanto prezam pelo cumprimento de obrigações legais por parte da empresa não poderiam ser os primeiros a quebrar uma determinação legal para uma paralização.

      Quanto ao andamento do processo, certas coisas não são previsíveis, nem programáveis. A pauta foi entregue em agosto. Somente em outubro fomos chamados para reunião. Não havia como saber qual a contra-proposta da empresa, nem como “adivinhar” que teríamos uma postura tão intransigente. Como então já sair com uma campanha de acordo coletivo já prevendo greve? Uma coisa é consequência da outra. A intenção de paralização se dá pelo fechamento dos canais de negociação.

      Neste momento, agir com pressa só é prejudicial a todos nós. Se formos afobados, certamente não teremos ganhos.
      É importante que nos mantenhamos unidos, que mostremos força perante quem nos contrata. Daí sim teremos bons resultados.

    • doido2012 disse:

      Poxa Vida sindicato..voces insistem que não é “jogo da empresa”, mas não acatam uma sugestão dos funcionários…temos aqui no minimo 50 comentários de pessoas aderindo a paralisação amanhã e chamando a imprensa, e voces insistem em nao fazer e “empurrar” para frente..Depois chega na Assembléia e o pessoal aprova por “desespero” e a culpa vai ser dos empregados ainda…POR FAVOR, MOSTREM QUE ESTÃO DO NOSSO LADO. O tempo corre e infelizmente vocês tem que ser sensíveis a questão que no final do ano TODOS precisam mais de dinheiro e contam com o “cala-boca”..então façamos a paralisação o mais rápido possível..CADE a história na grande mídia, na imprensa? voces nao precisam temer…tem estabilidade, porém nós precisamos ver q voces querem fazer e não no final do ano com todo mundo DESESPERADO

  4. jhonas22 disse:

    Sou leigo no assunto, mas alguém me explique: como os bancos são capazes de se mobilizarem e entrarem em greve tão rapimente?… e nós aqui levando de um mês pra frente?

  5. joao84 disse:

    Pois é, entendo que exitem trâmites legais, mas será que é necessário levar 1 mês?

  6. Porque não programamos a paralização para o dia 19/11, já que teremos feriado nos dias 15 e 16/11, a Copel vai pensar melhor e vai ficar mais assustada.

  7. Concordo com o Antonio Neto Miliorança, o sindicato está fazendo o jogo da empresa, porque os outros sindicatos, bancários e metalúrgicos param tao logo sejam rejeitadas sua propostas, porque nosso sindicato só quer para final de novembro? Estão sim fazendo o jogo da empresa, senhores diretores dos nossos sindicatos, nos provem então que vocês não estão fazendo o jogo da diretoria da copel, façam assmbleias o quanto antes e vamos paralizar nossas atividades, e não venham tentar me enrrolar, pois já fiz parte do sindicato no meu ultimo emprego antes de entrar na copel, então por favor não nos enrrole! Ou será que teremos que montar uma chapa para tirar vocês e colocar pessoas que realmente estejam afim de lutar por quem trabalha? Lembrem-se as eleições para eleger os integrantyes do sindicato estão aí!
    Não pensem que estou contra vocês do sindicato, se vocês olharem meus comentários anteriores sempre defendi as vossas posições, mas é inaceitável marcar as paralizações somente para final de novembro! Espero resposta de vocês, mas me venham com uma resposta convicente, não me venham com balelas como os diretores da Copel!
    Abraços!

  8. Sigam os exemplos dos metalurgicos e bancários, e vamos dar uma banana para os diretores da Copel, e quem puder manifestar a indignação sugiro que amanhã use preto como foi sugerido em sinal de luto pelo descaso da nossa diretoria, e digo mais quem puder não comer aquele bolo que eles levam todo ano nos setores, não comam, pois se a condição não esta favorável como diz a diretoria, assim eles podem rifar o bolo para colocar dinheiro em caixa.

  9. AS ASSEMBLÉIAS JÁ DEVERIAM TER ACONTECIDO ESTA SEMANA.
    ESTOU PAGANDO PRA VER SE O SINDICATO VAI FAZER VALER A SUA HONRA DESTA VEZ, DIFERENTEMENTE DOS ANOS ANTERIORES…

  10. ex funcionario da copel agora pica fio disse:

    bombastico, ja tó sabendo a direção esta convocando tipo contratos temporarios em torno de 500 eletricistas de manutenção.p caso se vier ocorrer greve as empreiteiras assumem as emergencias e oses com prazo tipo religação e lig nova., A EMPRESA NÃO ESTA NEM AI COM VCS, COLOQUEM NA CABEÇA QUE VC É SÓ UM NUMERO NO CRACHÁ.,JÁ ESTÃO DIVIDINDO A COPEL EM TRES BLOCOS ESTÃO QUERENDO COMPRAR O GRUPO REDE (UMA MASSA FALIDA)….É TUDO GOLPE QUEM TIVER OPURTUNIDADE SAI LOGO DESSE BARCO QUE ESTA AFUNDANDO.

    • kdmeudinheiro disse:

      É isso ae!!!! Continua assim! Deste modo os políticos continuaram a dar aumento exorbitantes para si mesmos, continuaram a roubar sem serem punidos, bandidos continuaram a matar sem impunidade……..Se todos pensarem igual a ti meu amigo! É melhor eu ir para outro Planeta! Depois reclama do País.

    • quepateta disse:

      Então há dinheiro mais uma vez a contradição.
      Se houver temporal o risco de vida é maior, quem seria o responsável daí, pois os terceirizados são menos preparados.
      Vamos rezar por eles gente.

  11. kdmeudinheiro disse:

    Concordo que somos somente um número para a empresa! Considerando cada um sozinho sim! Mas somos quase 10000 funcionários! E não vão ser empreiteiras que vão fazer todos os serviços necessários da Copel! Ou os diretores vão se sentar nas cadeiras do financeiro e pagar as contas?! Ou qualquer outro trabalho necessário para que a mesma funcione! Se depender de mim, vou lutar! mesmo que tenha prejuizo. Pelo menos fiz minha parte, não vou ficar de braços cruzados engolido tudo o que nos é imposto! Isto não é ACT, é IMPOSIÇÃO!!!! A Copel já está muito prejudicada pelos funcionários antigos que nada fizeram, apenas abaixaram a cabeça e aceitaram tudo que foi imposto, como perda do anuênio, dupla função……..

  12. piazinho disse:

    Sindicato dos patrões. É obvio que os tramites não são tão demorados assim. Isso é apenas para dar tempo de eles (diretoria) se precaverem, terem como se preparar para que a greve em nada os afete e saiamos perdendo mais uma vez por causa dos sindicatos que “não se preparam” para combater o óbvio. Se insistirem que que tem todo um tramite é por que são muito sem noç~]ao. Sabendo como essa mulher é e já na primeira reunião disseram que era a resposta final, já deveríamos estar votando o “NÃO”… A HISTÓRIA DE DERROTA DOS COPELIANOS É TUDO DEVIDO A COVARDIA DOS COPELIANOS VETERANOS E DE UM SINDICATO QUE NÃO SABE TRABALHAR!

  13. Para que o sindicato não nos enrrole:
    O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

    Art. 1º É assegurado o direito de greve, competindo aos trabalhadores decidir sobre a oportunidade de exercê-lo e sobre os interesses que devam por meio dele defender.

    Parágrafo único. O direito de greve será exercido na forma estabelecida nesta Lei.

    Art. 2º Para os fins desta Lei, considera-se legítimo exercício do direito de greve a suspensão coletiva, temporária e pacífica, total ou parcial, de prestação pessoal de serviços a empregador.

    Art. 3º Frustrada a negociação ou verificada a impossibilidade de recursos via arbitral, é facultada a cessação coletiva do trabalho.

    Parágrafo único. A entidade patronal correspondente ou os empregadores diretamente interessados serão notificados, com antecedência mínima de 48 (quarenta e oito) horas, da paralisação.

    Art. 4º Caberá à entidade sindical correspondente convocar, na forma do seu estatuto, assembléia geral que definirá as reivindicações da categoria e deliberará sobre a paralisação coletiva da prestação de serviços.

    § 1º O estatuto da entidade sindical deverá prever as formalidades de convocação e o quorum para a deliberação, tanto da deflagração quanto da cessação da greve.

    § 2º Na falta de entidade sindical, a assembléia geral dos trabalhadores interessados deliberará para os fins previstos no “caput”, constituindo comissão de negociação.

    Art. 5º A entidade sindical ou comissão especialmente eleita representará os interesses dos trabalhadores nas negociações ou na Justiça do Trabalho.

    Art. 6º São assegurados aos grevistas, dentre outros direitos:

    I – o emprego de meios pacíficos tendentes a persuadir ou aliciar os trabalhadores a aderirem à greve;

    II – a arrecadação de fundos e a livre divulgação do movimento.

    § 1º Em nenhuma hipótese, os meios adotados por empregados e empregadores poderão violar ou constranger os direitos e garantias fundamentais de outrem.

    § 2º É vedado às empresas adotar meios para constranger o empregado ao comparecimento ao trabalho, bem como capazes de frustrar a divulgação do movimento.

    § 3º As manifestações e atos de persuasão utilizados pelos grevistas não poderão impedir o acesso ao trabalho nem causar ameaça ou dano à propriedade ou pessoa.

    Art. 7º Observadas as condições previstas nesta Lei, a participação em greve suspende o contrato de trabalho, devendo as relações obrigacionais, durante o período, ser regidas pelo acordo, convenção, laudo arbitral ou decisão da Justiça do Trabalho.

    Parágrafo único. É vedada a rescisão de contrato de trabalho durante a greve, bem como a contratação de trabalhadores substitutos, exceto na ocorrência das hipóteses previstas nos arts. 9º e 14.

    Art. 8º A Justiça do Trabalho, por iniciativa de qualquer das partes ou do Ministério Público do Trabalho, decidirá sobre a procedência, total ou parcial, ou improcedência das reivindicações, cumprindo ao Tribunal publicar, de imediato, o competente acórdão.

    Art. 9º Durante a greve, o sindicato ou a comissão de negociação, mediante acordo com a entidade patronal ou diretamente com o empregador, manterá em atividade equipes de empregados com o propósito de assegurar os serviços cuja paralisação resultem em prejuízo irreparável, pela deterioração irreversível de bens, máquinas e equipamentos, bem como a manutenção daqueles essenciais à retomada das atividades da empresa quando da cessação do movimento.

    Parágrafo único. Não havendo acordo, é assegurado ao empregador, enquanto perdurar a greve, o direito de contratar diretamente os serviços necessários a que se refere este artigo.

    Art. 10 São considerados serviços ou atividades essenciais:

    I – tratamento e abastecimento de água; produção e distribuição de energia elétrica, gás e combustíveis;

    II – assistência médica e hospitalar;

    III – distribuição e comercialização de medicamentos e alimentos;

    IV – funerários;

    V – transporte coletivo;

    VI – captação e tratamento de esgoto e lixo;

    VII – telecomunicações;

    VIII – guarda, uso e controle de substâncias radioativas, equipamentos e materiais nucleares;

    IX – processamento de dados ligados a serviços essenciais;

    X – controle de tráfego aéreo;

    XI compensação bancária.

    Art. 11. Nos serviços ou atividades essenciais, os sindicatos, os empregadores e os trabalhadores ficam obrigados, de comum acordo, a garantir, durante a greve, a prestação dos serviços indispensáveis ao atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade.

    Parágrafo único. São necessidades inadiáveis, da comunidade aquelas que, não atendidas, coloquem em perigo iminente a sobrevivência, a saúde ou a segurança da população.

    Art. 12. No caso de inobservância do disposto no artigo anterior, o Poder Público assegurará a prestação dos serviços indispensáveis.

    Art. 13 Na greve, em serviços ou atividades essenciais, ficam as entidades sindicais ou os trabalhadores, conforme o caso, obrigados a comunicar a decisão aos empregadores e aos usuários com antecedência mínima de 72 (setenta e duas) horas da paralisação.

    Art. 14 Constitui abuso do direito de greve a inobservância das normas contidas na presente Lei, bem como a manutenção da paralisação após a celebração de acordo, convenção ou decisão da Justiça do Trabalho.

    Parágrafo único. Na vigência de acordo, convenção ou sentença normativa não constitui abuso do exercício do direito de greve a paralisação que:

    I – tenha por objetivo exigir o cumprimento de cláusula ou condição;

    II – seja motivada pela superveniência de fatos novo ou acontecimento imprevisto que modifique substancialmente a relação de trabalho.

    Art. 15 A responsabilidade pelos atos praticados, ilícitos ou crimes cometidos, no curso da greve, será apurada, conforme o caso, segundo a legislação trabalhista, civil ou penal.

    Parágrafo único. Deverá o Ministério Público, de ofício, requisitar a abertura do competente inquérito e oferecer denúncia quando houver indício da prática de delito.

    Art. 16. Para os fins previstos no art. 37, inciso VII, da Constituição, lei complementar definirá os termos e os limites em que o direito de greve poderá ser exercido.

    Art. 17. Fica vedada a paralisação das atividades, por iniciativa do empregador, com o objetivo de frustrar negociação ou dificultar o atendimento de reivindicações dos respectivos empregados (lockout).

    Parágrafo único. A prática referida no caput assegura aos trabalhadores o direito à percepção dos salários durante o período de paralisação.

    Art. 18. Ficam revogados a Lei nº 4.330, de 1º de junho de 1964, o Decreto-Lei nº 1.632, de 4 de agosto de 1978, e demais disposições em contrário.

    Art. 19 Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

    Brasília, 28 de junho de 1989; 168º da Independência e 101º da República.

  14. Então eu pergunto: porque nao enviamos a notificação a copel e não paralizamos agora? Porque só no final do mês de novembro? Nos respondam diretores de nossos sindicatos

    • quepateta disse:

      O coletivo já recusou.
      Copel vai ficar entre as piores empresa para o trampo, e na imundice da limpeza também.

    • piazinho disse:

      Simples… o “sindicato dos patrões” está dando um “tempinho” para que eles se armem…

      • Tá na Lei:
        Art. 4º Caberá à entidade sindical correspondente convocar, na forma do seu estatuto, assembléia geral que definirá as reivindicações da categoria e deliberará sobre a paralisação coletiva da prestação de serviços.

        Por isso a convocação de Assembléias.

    • cicer0martins disse:

      Caro Fernando, considero excelente a sua atitude, questionar incisivamente as medidas da empresa, e mesmo as dos sindicatos, é fundamental. Não podemos postar-se apenas como expectadores do processo, tudo que está sendo feito precisa ser transparente e objetivo, e quanto mais pessoas estiverem atentas e cobrando, maiores as chances de sucesso. Quem está contribuindo para que a Campanha apresente o melhor resultado possível a favor dos trabalhadores tem que fazer isto mesmo.
      No entanto, neste quesito referente a possivel morosidade do processo, veja que a lei que você postou reafirma a correção da ação empreendida pelas entidades sindicais. Primeiro, veja o Art. 1º: “Art. 1º É assegurado o direito de greve, competindo aos trabalhadores decidir sobre a oportunidade de exercê-lo e sobre os interesses que devam por meio dele defender.”, quer dizer, é uma prerrogativa do trabalhador, diretamente, e não dos sindicatos deflagrar greve. Este tem sido o entendimento da Justiça, de que só é legal o movimento amparado pela realização de Assembleias Gerais dos trabalhadores.
      Pois devemos então realizar as Assembleias, e fazer delas expressão da indignação que é geral. Tanto quanto a paralisação em si, a mobilização massiva para a participação na Assembleia, as ações simbólicas e de engajamento à pauta dos trabalhadores, a pressão para a retomada das negociações com mais respeito vindo tanto de dentro da empresa quanto de fora, por exemplo, indo reivindicar o espaço e o apoio dos parlamentares, do poder executivo, da sociedade, enfim, são caminhos que podem demorar um pouco mais, podem exigir de nós maior tenacidade e empenho, mas tem um papel importantíssimo para todos.
      A cada dia tomamos mais consciência sobre como funciona e como está sendo dirigida a empresa em que trabalhamos. Lógico que, até serem concluídas todas as Assembleias e depois, a diretoria vai continuar trabalhando para fazer valer os interesses que representa. Mas o tempo que ela tem é o tempo que nós temos também, o que não dá é pra ficar parado, ou disparar ‘fogo amigo’, debitando na conta dos dirigentes dos sindicatos a responsabilidade que é de todos. Não estamos lutando apenas por ganho real, exigimos da diretoria mais respeito, coerência, transparência. E temos argumentos bem mais convincentes do que um cupcake bem embalado. Saudações!

  15. doido2012 disse:

    Esse é o sindicato de meia tijela….excelente para botar fogo, mas na hora de se mobilizar rapidamente…quanta “leseira” !!!…cadê a imprensa? cade a paralisação do dia de aniversário? Que atitude ridicula falar pra vestir preto…e os eletricistas? usam preto tambem por cima do anti-chama???..vao esperar chegar final de novembro, começo de dezembro pra ver o povo bem “desesperado” por abono. Ai todo mundo vota sim e a culpa vai ser dos “funcionarios que não se mobilizaram” ???….vocês são patéticos…VOU LANÇAR A CAMPANHA: “VOTE SIM EM PROTESTO AO SINDICATO”…

  16. gutaguta disse:

    pelo amor de Deus, votem não… afff, hoje veio a proposta da copel no notes…. que vergonha…. que abono mixuruca…..

  17. Por favor né…
    Vamos deixá-los trabalhar.
    Se eles estão nessa situação é pela conveniência e apatia do próprio copeliano.
    Não vim vestido de preto em homenagem ao aniver´sario da empresa porque não tenho preto e nem dinheiro para comprar nesse momento.
    Prefiro deixar para julgar, seja empresa ou sindicato na votação.
    Estou no aguardo do cronograma de assembléias.

  18. GREVE JÁ, É PRA ONTEM, ONDE JÁ SE VIU TANTOS GASTOS COM ESSA DIRETORIA INCOMPETENTE, COMPRANDO AVIÃOZINHO, COMPRANDO EMPRESA FALIDA, DIRETORIA HIPÓCRITA, DESONESTA, ESTÁ NEGANDO AO TRABALHADOR QUE A CARREGA NAS COSTAS, CARREGA ESSE BANDO DE PILANTRAS, PARASITAS POLITICOS, COM DISCURSOS NA ÉPOCA DE CAMPANHA QUE IRIA “FORTALECER” AS EMPRESAS ESTATAIS E SEUS SERVIDORES. O QUE FEZ ENTÃO? FORTALECEU (ENRIQUECEU)O BOLSO SÓ DOS PILANTRAS, ESQUECENDO-SE DA SUA FORÇA DE TRABALHO QUE FAZ ESSA EMPRESA DE FATO EXISTIR.
    GREVE JÁ, AGORA , MAIS DO QUE NUNCA, CHEGA DE ESMOLA PRA FORÇA DE TRABALHO (RAZÃO DESSA EMPRESA EXISTIR E FUNCIONAR MUITO BEM) E CHEGA DE MILHÕES AOS GESTORES POLITICOS INCOMPETENTES E DESONESTOS, QUE TEM LEVADO A EMPRESA AO BURACO COM AQUISIÇÕES ABSURDAS E SALÁRIOS EXORBITANTES PARA REMUNERAR TANTA GENTE INCAPAZ, CPI NESSA DIRETORIA DESONESTA JÁ!!
    GREVE, GREVE , JÁ!! PRA ONTEM.
    CPI NA DIRETORIA DESONESTA JÁ!! MINISTÉRIO PÚBLICO NO ENCALÇO DESSA TURMA DE PARASITAS JÁ!!

  19. gutaguta disse:

    Hoje, no almoço da usina foi fejoada, uma das melhores…, sobremesa sorvete, que estava uma delicia, tambem teve frutas, e teve tambem o “cú-picake” da YaRa, afff… é a copel tentando adoçar a boca dos copelianos…
    Eu VOTO NÃO… e FAÇO campanha aqui pelo NÃO…
    Sei que é desagradavel ter que esperar até novembro… sei que muitos colegas precisam do dinheiro, sei que eu tambem preciso, mas, não é pelo dinheiro, e sim pelo desrespeito que a copel tem com seus funcionarios, seja ele eletricista, seja ele tecnico…
    Não vai ser a diretoria e o mal que nos assombra que vai arruinar a copel e nossa vida, mas sim quem vee tudo acontecendo e Não Faz Nada!!! Vamos votar não, vamos paralisar, vamos nos mobilizar!!! Vamos Juntos, e na segurança de nosso Senhor seremos Vitoriosos!
    Vamos a LUTA!
    La Vitta é adesso

    Força Sempre!

    • piazinho disse:

      Concordo plenamente contigo!!! E acredito que a maioria maciça votará pelo NÃO. Concordo ainda que não é apenas pelo dinheiro, pelo dinheiro sim, mas acima de tudo “pelo desrespeito que a copel tem com seus funcionários, seja ele eletricista, seja ele tecnico…”

  20. NÃO ESQUEÇA QUE VC COPELIANO, É A COPEL, GESTORES PASSAM, GOVERNOS ACABAM,
    E A EMPRESA COPEL (VC COPELIANO) DÁ CONTINUIDADE ININTERRUPTAMENTE AOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE GERAÇÃO, TRANSMISSÃO E DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA, E COMO PATRIMONIO (HUMANO) DESSA EMPRESA COPEL (COPELIANO) MERECEMOS INVESTIMENTO ADEQUADO PARA QUE TODO ESSE PATRIMONIO (INCLUSIVE SEU QUADRO DE SERVIDORES) TENHA SUCESSO NOS DESAFIOS DESSE EMPREENDIMENTO. QUAL A RAZÃO PARA SE INVESTIR EM DIRETORES INCOMPETENTES, QUE ESTÃO LEVANDO A EMPRESA PARA O BURACO COM COMPRAS INFUNDADAS E EM SALÁRIOS EXORBITANTES REMUNERANDO ESSA GENTE QUE ESTÁ DESPERDIÇANDO DINHEIRO PÚBLICO? ESSA GESTÃO SE ENCERRA, LESA OS COFRES DA EMPRESA, ENQUANTO O COPELIANO QUE É A PEÇA PERMANENTE DA EMPRESA, É PORCAMENTE REMUNERADO.
    PARALIZAÇÃO JÁ, NÓS SOMOS A COPEL E NECESSITAMOS DE ADEQUADOS INVESTIMENTOS EM NOSSO SALÁRIO PARA QUE ESSA EMPRESA FUNCIONE.

  21. coringa2013 disse:

    Até quando nossos banheiros cheirarão a urina, até quando nosso café será requentado, até quando nossas salas continuarão imundas, até quando perderemos irmãos eletricistas mortos tendo seus corpos dilacerados por caminhão desgovernado, visto estarem retornando de mais um dia de trabalho, com suas cabeças preocupadas com o abono que não chegou e com o salário do final do mês, até quando existirão magos nos sindicatos da vida, até quando à Copel não poderá dar 3% de aumento real em nossos salários, …, até quando ?
    Enquanto tivermos diretores ganhando 1 milhão e duzentos mil reais por ano, seremos eternos palhaços, ou vocês acham que eles estão preocupados conosco ?
    União pessoal, apesar das inúmeras tentativas de intimidação e cisão dos 17 sindicatos que por enquanto estão juntos no coletivo.

  22. Alceu Martins disse:

    O ACT da Copel está muito pior do que o julgamento do mensalão !!! Que vergonha dessa atual diretoria. E achávamos que com a gestão anterior com o Requião estava pior. O que os empregados não estão enxergando é uma realidade muito mais grave do que a ATUAL DIRETORIA ESTAR NEGANDO 2% de aumento real. Mas sim uma PRIVATIZAÇÃO da Copel caminhando a passos largos. Ainda mais agora que o candidato do governador não passou para o segundo turno. Certamente essa turma irá acelerar o processo para concretizar nossa desgraça durante esses 2 anos que restam! Se liguem no que realmente existe por trás das intenções dessa “turminha” que nunca deixou de ter ligações com o grupo de 1999 que dividiu a Copel em 5 empresas…

  23. Alceu Martins disse:

    E digo isso porque sou ex-funcionário aposentado e pelos relatos que tenho ouvido de amigos que ainda estão na ativa, toda a história está se repetindo: o terrorismo com os empregados, os cortes de custos, as conversas nos corredores de que vão reduzir o quadro pela metade (e foi mesmo, naquela época a Copel foi reduzida a 5 mil empregados), que vão espalhar todo mundo pelas subsidiarias de lotação… já começou pela logística, me contaram; não demora a separar o financeiro, contabilidade etc! agora tem o agravante das concessões.
    A propósito, existe censura aqui neste blog??? Porque não foi “grupo de 1999” que eu escrevi na mensagem acima !!!! Meu texto foi editado e isso não está certo!!!

    • coletivocopel disse:

      Caro Alceu, o comentário foi editado para troca de uma palavra que atribuia que atribuía um crime a pessoas. A edição não prejudicou a compreensão do que você quis dizer. E, sem a edição, o comentário não poderia ser publicado.

  24. Caro Cicero martins e coletivocopel sei dos tramites, o que não cabe na minha cabeça e na cabeça da maioria dos trabalhadores é essa demora, as assembléias já deveriam estar acontecendo o nosso sindicato se estivesse realmente afim de brigar por nós trabalhadores ja deveriam ter previsto isso, quando a empresa deu a ultima palavra o sindicato já deveria ter mobilzado os trabalhadores, agora não me venha falar besteira, sei dos prazos sei da lei, acho que a maioria dos copelianos também sabem, agora nosso sindicato está testando nossa inteligência, e digo ainda mais quando se der indicativo de greve a diretoria manda outra proposta ridícula, e não podemos paralizar porque eles mostraram boa vontade de negociar, e assim vai indo só Deus sabe até quando, não deveriamos dar tempo para essa diretoria, PELO AMOR DE DEUS SENHORES DIRETORES DE NOSSOS SINDICATOS, “ASSEMBLÉIAS JÁ”, fora o fato de a maioria estar precisando do dinheiro, a impressão que tenho é que o sindicato quer matar todos no cansaço para que no dia da assembléia todos digam sim, por essa campanha salárial desgastante que esta ocorrendo, o meu voto com certeza será NÃO, mas e o da maioria?
    Sinceramente estou com um pé atraz com nosso sindicato, e olha que sempre falei bem do sindicato aqui no blog, mas senti que eles não estao nem aí pra nós, sei que se nao editarem meu texto muita gente vai ler isso aqui, então lanço um desafio aos nossos sindicatos, e me provem que eu e mais alguns e milhares de funcionários estamos errados!
    FAÇAM AS ASSEMBLÉIS EM TEMPO RECORD NESSA SEMANA, E VAMOS PARALIZAR NOSSAS ATIVIDADES JA NA PROXIMA, NÃO VAMOS DAR TEMPO PARA A GESTÃO ATUAL DA COPEL, QUE SÓ OLHAM PROS PRÓPRIOS RABOS, QUE SÓ PENSAM NOS BOLSOS DELES POIS GANHAM ALTOS SALÁRIOS!
    “NOS PROVEM QUE VOCÊS ESTÃO REALMENTE LUTANDO POR NÓS SENHORES SINDICALISTAS!

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s